Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação dos microRNAs nas alterações ósseas locais induzidas pela doença periodontal e pelo sistema renina-angiotensina local em ratos espontaneamente hipertensos

Processo: 18/23676-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Sandra Helena Penha de Oliveira
Beneficiário:Victor Gustavo Balera Brito
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03965-2 - Papel do sistema renina-angiotensina em diferentes modelos inflamatórios orais: uma abordagem interdisciplinar experimental e clínica, AP.TEM
Assunto(s):Doenças periodontais   Hipertensão   MicroRNAs   Sistema renina-angiotensina

Resumo

A doença periodontal (DP) é uma desordem de natureza infecto inflamatória dos tecidos de revestimento e suporte do dente. Apesar do fator etiológico microbiano ser determinante, a progressão da DP depende de uma interação dinâmica patógeno-hospedeiro, podendo ser agravada por doenças sistêmicas pré-existentes, como a hipertensão, com alta probabilidade de coexistência com a DP visto compartilharem diversos fatores de risco. Além disso, estudos discutem uma possível causalidade entre a hipertensão e a DP, evidenciando uma relação bidirecional, quando associadas. A DP em ratos espontaneamente hipertensos (SHR, Spontaneously Hypertensive Rats), importante modelo de hipertensão essencial, apresenta uma resposta inflamatória exacerbada, com maior destruição periodontal e reabsorção óssea alveolar, e alguns mecanismos potencialmente envolvidos nesta resposta já foram propostos. O sistema renina-angiotensina (SRA) regular vários parâmetros cardiocirculatórios, mas além deste papel clássico, sistemas renina-angiotensina locais, descritos em diferentes tecidos incluindo os periodontais, têm sido associados a inflamação e ao metabolismo ósseo. A classe dos anti-hipertensivos antagonistas do receptor da angiotensina II do tipo 1 é uma das mais utilizadas clinicamente, e entre os exemplos, o telmisartan (TELM) destaca-se por pela alta seletividade, lipofilicidade, meia-vida longa, e por ser o único da classe com atividade agonista parcial sobre PPAR-³ (Peroxisome Proliferator-Activated Receptor Gamma). Resultados prévios do nosso laboratório demostram um significativo papel protetor do telmisartan nas consequências ósseas locais da DP em animais hipertensos, sendo capaz de modular a expressão de diferentes marcadores do metabolismo ósseo. Os microRNAs (miRs) tratam-se de RNA de cadeia curta, capazes de regular a expressão e tradução de diferentes alvos, e têm chamado atenção, desde a sua descoberta, como um importante mecanismo de regulação epigenético de respostas biológicas, fisiológicas e patológicas. Diversos trabalhos têm focado seus esforços na descoberta de potencias miRs envolvidos com as respostas inflamatórias, desordens de perda óssea e doenças sistêmicas. O presente trabalho tem por objetivo avaliar a participação dos miRs nas alterações ósseas locais induzidas pela DP em modelo animal de hipertensão e sua relação com o SRA angiotensina local. Serão utilizados animais normotensos (ratos Wistar) e hipertensos (SHR) com DP induzida experimentalmente por ligadura bilateral nos primeiros molares inferiores, mantida por 15 dias, e tratados com TELM, para avaliação da expressão diferencial de microRNAs no osso alveolar (qRT-PCR array), com posteriores análises funcionais in vitro dos principais hits (miRs up-regulados ou down-regulados) em cultura de osteoblastos (derivados do osso alveolar) e osteoclastos (derivados da medula óssea) pela transfecção de inibidores ou mímicos destes miRs. A partir dos resultados deste trabalho, pretendemos compreender melhor a participação do miRs nas alterações ósseas locais induzidas pela DP em animais normotenso e hipertenso, e sua relação com o SRA local, visto tratarem-se de mecanismos importantes, ainda não totalmente compreendidos. (AU)