Busca avançada
Ano de início
Entree

Acoplamento oxidativo do metano utilizando catalisadores do tipo A2B2O7

Processo: 19/26419-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 29 de agosto de 2020
Vigência (Término): 27 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Elisabete Moreira Assaf
Beneficiário:Davi Domingos Petrolini
Supervisor no Exterior: Graham John Hutchings
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Cardiff University, País de Gales  
Vinculado à bolsa:19/10980-9 - Acoplamento oxidativo do metano utilizando catalisadores do tipo A2B2O7, BP.PD
Assunto(s):Metano   Catalisadores heterogêneos   Catálise heterogênea

Resumo

Esta proposta de colaboração internacional visa realizar parte do meu pós-doutorado intitulado como "Acoplamento oxidativo de metano usando catalisadores A2B2O7", financiado pela FAPESP 2019/10980-9 e o projeto temático intitulado "Aplicação do Conceito de Biorrefinaria a Estações de Tratamento Biológico de Águas Residuárias: O Controle da Poluição Ambiental Aliado à Recuperação de Matéria e Energia " FAPESP 2015/06246-7. O desenvolvimento desses projetos temáticos e de pós-doutorado é pretendido em colaboração com o professor Graham Hutching, do Instituto de Catálise de Cardiff, no Reino Unido.O grupo do professor Graham Hutchings se concentra no desenvolvimento de novos catalisadores heterogêneos seletivos para reações de oxidação e suas características usando espectroscopia in situ. Além disso, o grupo comprovou com várias publicações a experiência na preparação de catalisadores com tamanho de partícula controlado, pelo método de "sol-imobilization" ou "core-shell", demonstrando uma preparação eficiente de catalisadores com composição altamente uniforme e controlada de metais suportados. As propriedades catalíticas são sensíveis ao diâmetro, composição química e estrutura da liga das nanopartículas suportadas. Várias reações de oxidação de metano, por exemplo, mostraram forte dependência com a área superficial das nanopartículas metálicas, com as pequenas nanopartículas sendo mais ativas que as nanopartículas maiores.Do lado brasileiro, pretende-se utilizar os catalisadores do tipo fluorita propostos no projeto de pós-doutorado como suporte para a deposição de metais pelo método de "sol-imobilization" ou "core-shell". Além disso, o projeto temático tem como um de seus principais objetivos aplicar o conceito de biorrefinaria a uma estação de tratamento biológico de águas residuais para obter metano e convertê-lo em produtos de alto valor agregado. Mesmo com os resultados satisfatórios que alcançamos até agora, gostaríamos de aproveitar a experiência do grupo do professor Graham Hutchings em reações envolvendo metano, seus conhecimentos para trabalhar com espectroscopia in situ e preparar catalisadores com tamanho controlado de nanopartículas.