Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel da quinase de adesão focal a resposta de dano ao DNA em cardiomiócitos submetidos a estresse genotóxico através de microscopia de iluminação estruturada

Processo: 19/20790-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física
Pesquisador responsável:Andre Alexandre de Thomaz
Beneficiário:Antonio Dosualdo Neto
Instituição-sede: Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Cardiomiopatias   Cardiotoxicidade   Quimioterápicos   Doxorrubicina   Sobrevivência celular   Dano ao DNA

Resumo

Complicações cardiovasculares das terapias antineoplásticas estão surgindo como um grande problema de saúde pública, considerando que a taxa de sobrevivência ao câncer vem aumentando consideravelmente nos últimos anos. A cardiotoxicidade decorrente da ação de quimioterápicos, como a doxorrubicina (doxo), é uma condição grave, podendo evoluir para cardiomiopatia crônica, insuficiência cardíaca congestiva e morte do paciente. Estudos com foco na sinalização ativada por terapias antineoplásicas vêm demonstrando a importância da proteína quinase de adesão focal (FAK) para a sobrevivência e resistência celular frente a esse tratamento, no entanto, essa sinalização permanece pouco compreendida. A presente proposta visa caracterizar os efeitos do tratamento com o quimioterápico doxo na redistribuição subcelular da FAK em miócitos cardíacos H9C2. Além disso, será investigado se FAK co-localiza com proteínas relacionadas a resposta ao dano no DNA após o tratamento com doxo, como a DNA-PK, XRCC5 e DDX5, as quais foram previamente identificadas em experimentos de co-imunoprecipitação da FAK. Os achados desse projeto poderão contribuir para o entendimento dos mecanismos pelos quais FAK promove sobrevivência celular frente ao tratamento com doxo e para o estabelecimento de novas modalidades terapêuticas para o tratamento tumoral com amenização dos efeitos deletérios sobre a função cardíaca. (AU)