Busca avançada
Ano de início
Entree

Urbanização, cidades e os espaços da financeirização: análise do processo de securitização da habitação no Brasil

Processo: 19/10959-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Jeroen Johannes Klink
Beneficiário:Marlon Altavini de Abreu
Instituição-sede: Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas (CECS). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Securitização   Financiamento habitacional   Financeirização   Cidades   Geografia urbana   Urbanização

Resumo

O presente projeto de pesquisa pretende analisar e debater os nexos que conectam as diferentes rodadas de aproximação entre o ambiente construído urbano a uma lógica de rentabilidade própria das finanças, submetendo a propriedade imobiliária a uma formatação cada vez mais alinhada às dinâmicas do mercado financeiro. Estes objetivos visam compreender as conexões entre a expansão dos contextos de valorização dos negócios imobiliários através de uma leitura espacial da distribuição dos ativos securitizados no território nacional. Deste modo, o enfoque privilegiado almeja compreender, através de um instrumento financeiro especifico os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), um conjunto de transformações que passam a estruturar, integrar e coordenar o circuito de investimentos em ativos imobiliários no Brasil, através da conversão de direitos creditícios, originados pelo financiamento habitacional contratado pela Caixa Econômica Federal, em ativos financeiros securitizados. Neste sentido, posiciona o papel e as funções exercidas por um banco público na composição do mercado secundário de títulos imobiliários no Brasil. Para tanto, o enfoque desenvolvido por esta análise busca caracterizar: a) as particularidades associadas aos momentos de inflexão dessa lógica financeira que começa a se estender em escala nacional, verificando os tempos, as intensidades e a extensão dessa inserção; b) os condicionantes constituídos pelo Estado brasileiro na criação dos nexos entre o financiamento imobiliário e o mercado de capitais, através de uma estrutura institucional que cria os necessários contextos econômicos de valorização e circulação dos ativos imobiliários através dos mercados de títulos lastreados em bens imóveis; c) detalhar as operações desempenhadas pela Caixa Econômica Federal (CEF) entre os anos de 2011 e 2020 através de dados extraídos de Relatórios Econômicos e Financeiros disponibilizados, em conjunto das próprias emissões de CRI originadas pelo banco; c) a inexorável dimensão espacial urbana que ampara a disseminação destes títulos de base imobiliária, considerando os empreendimentos que lhes dão lastro em seus usos (residencial e comercial) e suas localizações.