Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunomodulação da homeostasia de ferro e regulação da via de sinalização de receptores tirosina quinase TAM durante a Infecção por Mycobacterium tuberculosis: alvos para desenvolvimento de terapias imunofarmacológicas direcionadas ao hospedeiro

Processo: 19/25770-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Diego Luís Costa
Beneficiário:Diego Luís Costa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/08445-8 - Imunomodulação da homeostasia de ferro e regulação da via de sinalização de receptores tirosina quinase TAM durante a Infecção por Mycobacterium tuberculosis: alvos para desenvolvimento de terapias imunofarmacológicas direcionadas ao hospedeiro, AP.JP
Assunto(s):Doenças transmissíveis   Resposta imune   Homeostase   Tuberculose   Ferro

Resumo

A tuberculose (TB) é a doença infecciosa que mais mata no mundo. Não há vacina eficaz na prevenção da infecção, sua terapia convencional com antibióticos é muito longa e gera diversos efeitos colaterais. Portanto, há necessidade de tratamentos mais eficientes que eliminem o patógeno rapidamente. Abordagens direcionadas a processos biológicos do hospedeiro são estratégias promissoras para se alcançar este objetivo. A inibição da atividade da enzima heme oxigenase-1 do hospedeiro durante a TB resulta em diminuição do número de bactérias e acelera sua eliminação junto à antibioticoterapia. Nossos resultados sugerem que este efeito se deve ao aumento da atividade microbicida de macrófagos infectados devido à redução dos níveis de ferro intracelular. A homeostase celular de ferro é modulada por mediadores e transportadores cuja expressão é regulada por estímulos inflamatórios. Por outro lado, alterações nos níveis de ferro intracelular podem interferir na expressão de fatores de transcrição que modulam a resposta inflamatória. O primeiro objetivo desta proposta é caracterizar como a resposta imune e inflamatória desenvolvida contra M. tuberculosis interfere na regulação dos níveis intracelulares de ferro em fagócitos infectados, e como tais alterações modulam a ativação dessas células. Paralelamente, nós identificamos que durante a TB há aumento da expressão dos receptores Axl e MerTK em células mieloides e de seu ligante Gas6 nos pulmões. Esses receptores induzem supressão da resposta inflamatória, porém sua função durante a TB é desconhecida. Sendo assim, o segundo objetivo desta proposta é caracterizar o papel de tais receptores na modulação da resposta inflamatória e da ativação de linfócitos T durante a infecção por M. tuberculosis. Por fim, após identificar mediadores nas vias descritas que desempenhem papel importante na modulação da patogênese da infecção, nossa meta é utilizá-los como alvos para intervenção imunofarmacológica e desenvolvimento de terapias direcionadas ao hospedeiro para o tratamento da TB. (AU)