Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de dosagens do polímero UPDT no estabelecimento e sobrevivência de mudas de Eucalyptus. urograndis

Processo: 19/13588-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Pesquisador responsável:Jarbas Honorio de Miranda
Beneficiário:Yago Pereira da Silva
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Mudança climática   Dinâmica de solutos nos solos   Lixiviação do solo   Modelagem computacional   Análise da água   Mudas (plantas)   Eucalipto   Casa de vegetação

Resumo

O setor brasileiro de florestas desempenha um papel fundamental na sociedade contribuindo para geração de milhares de empregos e aumento do PIB. Porém, as variações climáticas ocorridas nos últimos anos têm afetado seu desempenho devido a secas prolongadas em algumas regiões. Tais mudanças exigiram que as empresas florestais iniciassem o plantio mesmo em condições de baixa precipitação, tornando necessária a prática da irrigação das mudas no campo. Nesse sentido, tecnologias como os chamados polímeros absorventes, no caso, o UPDT (United Phosphorus Drought Technology), surgem na tentativa de aumentar da taxa de sobrevivência das mudas, reduzir gastos com replantio e perdas de nitrogênio por lixiviação. Deste modo essa pesquisa terá como objetivos: a) avaliar o efeito de diferentes doses do UPDT no estabelecimento de mudas de Eucalyptus urograndis; b) avaliar sua influência na distribuição da água no solo e sua capacidade de absorção de nitrogênio e c) aplicação de modelagem computacional para verificar a distribuição da umidade no perfil do solo. Em casa de vegetação, serão plantadas 32 mudas E. urograndis em vasos distribuídos aleatoriamente, em dois solos (argiloso e arenoso), aplicando 1,0 e 2,0 g cm-3 de UPDT e variando a lâmina d água de irrigação (1L e 3L) em 4 repetições (2x2x2x4). Outras 16 mudas, as testemunhas, receberão os mesmos tratamentos e repetições com exceção do polímero UPDT (2x2x4) totalizando 48 vasos. Em cada vaso serão instalados dois tensiômetros e dois extratores de solução a 15 e 30 cm de profundidade com o objetivo de monitorar a umidade do solo e observar a capacidade do UPDT em absorver o nitrogênio da solução. O modelo HYDRUS 1D será usado para verificar a influência do UPDT através da simulação da distribuição da água no solo. (AU)