Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de espécies invasoras no Cerrado

Processo: 19/14207-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Convênio/Acordo: NERC, UKRI ; Newton Fund - LATAM ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Pesquisador responsável:Alessandra Tomaselli Fidelis
Beneficiário:Giovana Leticia Chiari
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/14995-8 - Uso do manejo adaptativo na otimização do manejo a longo prazo de espécies invasoras prejudiciais à biodiversidade e economia rural, AP.R
Assunto(s):Espécies invasoras   Cerrado   Coleção e conservação de espécies biológicas

Resumo

O Cerrado é um tipo de vegetação sob constante influência de distúrbio, sendo o mais importante a passagem recorrente de fogo. Porém encontra-se sob a ameaça de espécies invasoras, dentre elas gramíneas africanas (Melinis minutiflora, Urochloa spp.) e pinheiros (Pinus oocarpa, Pinuselliottii, Pinus caribaea). Por isso, invasões por espécies exóticas têm sido considerada como uma das maiores ameaças à conservação do Cerrado. Espécies invasoras podem ser encontradas em praticamente todas as unidades de conservação de Cerrado do país e portanto, dados sobre sua dispersão e impacto na vegetação são de extrema importância para seu manejo. Portanto, o bolsista TT-3 irá auxiliar na coleta de dados para alimentar o modelo que será gerado nesta proposta, em conjunto com pesquisadores do Reino Unido, Chile e Argentina. Além de coletar dados em campo sobre as espécies invasoras (principalmente na Estação Ecológica e Experimental de Itirapina), o bolsista também irá elaborar um banco de dados, buscando na literatura as variáveis e dados necessários para a criação do modelo proposto.