Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento rural, trabalho cooperado e subjetividades: estudo sobre a implantação do Programa Estadual microbacias hidrográficas (PEMH) no Sepé Tiaraju

Processo: 14/25042-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2015
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Social
Pesquisador responsável:Rosemeire Aparecida Scopinho
Beneficiário:Thainara Granero de Melo
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/16900-1 - Desenvolvimento rural, trabalho cooperado e subjetividades: um estudo usando as abordagens bricolagem institucional e Reflexive monitoring in action (RMA), BE.EP.DR
Assunto(s):Subjetividade   Desenvolvimento rural

Resumo

Trabalhadores inseridos em cooperativas de assentamentos da reforma agrária enfrentam diferentes dificuldades na gestão destas organizações, seja pelas imposições das políticas de desenvolvimento rural dos assentamentos, ou por relações de cooperação cada vez mais enfraquecidas e reguladas pela pessoalidade e desconfiança. Apesar disto, estudos supõem que a implantação do Programa Estadual Microbacias Hidrográficas (PEMH) em cooperativas pode favorecer o fortalecimento da gestão das organizações, bem como o resgate das relações de cooperação e dos laços de confiança. A partir deste problema será apresentado, neste projeto de doutorado, uma proposta de pesquisa cujo objetivo será analisar os desdobramentos objetivos e subjetivos da participação de três cooperativas e 31 famílias no PEMH, localizadas no Assentamento Sepé Tiaraju, região administrativa de Ribeirão Preto, SP. Parte-se da hipótese que o tempo de dois anos para a execução do Programa pode ser insuficiente para promover mudanças profundas na subjetividade dos trabalhadores. Apesar disso, as experiências anteriores de trabalho cooperado, mesmo que mal sucedidas, podem servir como parâmetro para os sujeitos neste novo processo de trabalho e favorecer melhorias na gestão. O método seguirá a perspectiva qualitativa por meio da abordagem de estudo de caso, cujos procedimentos incluirão revisão do referencial teórico da Psicossociologia e da literatura, observações empíricas, entrevistas semi-estruturadas e seminários. Os dados serão analisados pela triangulação entre as diferentes fontes de informação, que serão posteriormente organizadas em categorias temáticas conforme a repetição de informações. A pesquisa poderá contribuir para a avaliação de políticas que melhor atendam aos interesses dos sujeitos que vivem e trabalham no rural, bem como para o esclarecimento da dimensão subjetiva e para o processo reflexivo destes trabalhadores, para que detenham maior controle sobre a gestão das cooperativas.