Busca avançada
Ano de início
Entree

Representações sobre a educação escolar no Brasil e na Argentina (1970-2000): sujeitos, práticas e saberes pedagógicos

Processo: 14/16954-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2015
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Fundamentos da Educação
Pesquisador responsável:Daniel Revah
Beneficiário:Daniel Revah
Anfitrião: Silvia Graciela Finocchio
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales, Argentina (FLACSO), Argentina  
Assunto(s):Educação escolar   Representações   Argentina   História da educação   Brasil

Resumo

Este projeto de pesquisa pretende estudar numa perspectiva histórica e comparada as representações sobre a educação escolar veiculadas em discursos educacionais no Brasil e na Argentina, no período compreendido entre a década de 1970 e inícios do século XXI, em particular as relacionadas com o (re)ordenamento discursivo que se processou no campo educacional com a emergência do discurso pedagógico construtivista, cuja repercussão em ambos países foi intensa. Toma-se como principal objeto de análise as representações sobre alunos, professores, práticas e saberes pedagógicos presentes em periódicos educacionais dirigidos ao professor, com a intenção de investigar o modo como foram produzidas, de que forma circularam e as suas transformações, estudadas na sua relação com processos mais amplos de natureza política, social e cultural. Espera-se desse modo dimensionar em alguma medida as transformações ocorridas na escola nas últimas décadas, sobretudo as vinculadas ao equacionamento de problemas que nesse período emergiram nos debates educacionais, como os referidos no Brasil ao fracasso escolar e ao analfabetismo. Considera-se como referência inicial a década de 1970 porque corresponde ao período que precede a entrada em cena do construtivismo, com a presença de discursos educacionais cujas transformações pretende-se acompanhar e analisar. Nesse período, ademais, é possível flagrar no Brasil as primeiras tentativas de alteração do padrão até então predominante nos periódicos educacionais destinados ao professor. Esse padrão corresponde à forma material e jornalística que se impõe nas décadas seguintes, de forma concomitante à consolidação da indústria cultural nesses anos. Tendo como base os pressupostos da História Cultural, que é a perspectiva historiográfica que fundamenta este projeto, considerar essa mudança nos dispositivos materiais e textuais desses periódicos é fundamental para dimensionar as transformações nas representações que se pretende investigar.