Busca avançada
Ano de início
Entree

Famílias de esquemas de bancos de dados para experimentos de Neurociência

Processo: 14/18216-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação - Sistemas de Computação
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Kelly Rosa Braghetto
Beneficiário:Larissa Cristina Moraes
Instituição-sede: Instituto de Matemática e Estatística (IME). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07699-0 - Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática - NeuroMat, AP.CEPID
Assunto(s):Banco de dados   Linhas de produtos de software   Neurociências

Resumo

Na Neurociência, emprega-se diversos tipos de experimentos para investigar o funcionamento do cérebro, visando compreender as estruturas neurais e seus reflexos no resto do corpo. Para que consigam reutilizar dados de experimentos fora do contexto do estudo em que foram coletados, os cientistas precisam ter acesso a informações de proveniência desses dados, ou seja, a descrição do protocolo do experimento e informações ortogonais à sua realização (como onde, quando e por quem foi realizado). Os neurocientistas geralmente armazenam os dados dos experimentos digitalmente em arquivos comuns no computador, sem um formato padrão. Isso dificulta a manutenção, a recuperação, o compartilhamento e o reúso dos dados, principalmente quando o volume de dados coletados começa a crescer. Um dos maiores desafios da criação de padrões para a representação e armazenamento desses dados é a grande variabilidade que existe nos protocolos experimentais da área de Neurociência. Este projeto de mestrado propõe a criação de uma família de esquemas de dados para o domínio de experimentos em Neurociência que possibilitarão lidar com a variabilidade da estrutura dos dados desse domínio. Essa família poderá ser estendida pelos neurocientistas por meio de uma notação de fácil compreensão, para que ela passe a representar novos tipos de experimentos sempre que necessário. Com base no paradigma de linhas de produtos de software, criar-se-á uma ferramenta para a geração de bancos de dados customizados para as necessidades de armazenamento de dados de experimentos de um laboratório ou grupo de pesquisa específico. (AU)