Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias vacinais voltadas para o controle da dengue baseadas em proteínas recombinantes e adjuvantes de natureza microbiana

Processo: 12/22050-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Beneficiário:Sara Araujo Pereira
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51761-6 - Estratégias vacinais voltadas para o controle da dengue baseadas em proteínas recombinantes e adjuvantes de natureza microbiana, AP.R
Assunto(s):Dengue   Proteínas recombinantes   Vacinas

Resumo

O presente projeto tem como objetivo pesquisar a eficácia protetora em condições experimentais de vacinas de subunidades voltadas para o controle da dengue. O trabalho a ser desenvolvido prevê a produção de proteínas estruturais (prM, domínios II e III da proteína de envelope) e não estruturais (NS1 e domínio helicase da NS3) do vírus dengue sorotipo 2 (DENV2) em sistema de expressão procariótico (Escherichia coli) e eucariótico (baculovírus) e a elaboração de formulações vacinais em combinação com derivados atóxicos da toxina termo-lábil (LT), originalmente produzida por linhagens de Escherichia coli enterotoxigênica (ETEC). As formulações vacinais serão testadas em camundongos após administração por duas vias: subcutânea e intra-dérmica por meio de sistema de eletroporação. O trabalho prevê também a validação de um novo modelo murino de infecção pelo DENV2, a partir de um isolado viral de origem humana naturalmente letal para camundongos, estabelecido recentemente no laboratório. O projeto proposto engloba ainda, análises de parâmetros imunológicos que se correlacionem com a proteção frente à infecção pelo DENV2 em modelo murino, particularmente, a geração de anticorpos e linfócitos T específicos. Por fim, serão estudados aspectos relativos à segurança das formulações vacinais, em particular, a geração de respostas inflamatórias, alterações hematológicas e reações cruzadas com células e tecidos do hospedeiro. Trata-se de proposta inédita em termos acadêmicos que deve resultar em publicações em periódicos especializados assim como em pedidos de patentes voltados para a produção de vacinas seguras e eficazes para o controle da dengue. (AU)