Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo proteômico da transição epitelial - mesenquimal no câncer de pâncreas

Processo: 11/22086-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Vitor Marcel Faça
Beneficiário:Gabriela Norma Solano Canchaya
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/09740-1 - Identificação e validação de assinaturas moleculares relacionadas à metástase do câncer através de análise proteômica detalhada e dirigida da transição epitelial - mesenquimal em adenocarcinomas, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):15/07711-5 - Análise fosfoproteômica durante a transição epitélio-mesenquimal de adenocarcinoma de pâncreas, BE.EP.DR
Assunto(s):Biomarcadores   Neoplasias pancreáticas   Transição epitelial-mesenquimal   Metástase   Proteômica

Resumo

O câncer de pâncreas leva ao óbito anualmente mais de 200 mil pessoas no mundo, sendo considerado um dos adenocarcinomas mais agressivos. Isso se deve principalmente ao seu desenvolvimento silencioso e sua complexidade genética, tornando o câncer de pâncreas de difícil detecção. Consequentemente, o diagnóstico desta doença ocorre na grande maioria dos casos apenas em fase metastática, quando o tratamento é apenas para fins paliativos. As anomalias genéticas mais frequentes no câncer de pâncreas invasivo estão relacionadas à ativação por mutações do gene KRAS e a inativação dos genes supressores de tumor CDKN2A, TP53, SMAD4 e BRCA2. Além destas conhecidas vias de sinalização, fatores de crescimento como o TGF-² e o EGF também apresentam papel fundamental na progressão e metástase do câncer de pâncreas. Interessantemente, TGF-b e EGF são também indutores do processo denominado Transição Epitelial-Mesenquimal (EMT), onde células epiteliais normais, durante a embriogênese, ou células cancerosas durante a progressão tumoral e metástase, perdem seus contatos intracelulares e adquirem caráter migratório. Desta forma, a EMT induzida por altos níveis de TGF-² e/ou EGF é considerada como um dos mecanismos de progressão tumoral em adenocarcinomas e também como processo gerador de células tronco do câncer. Neste estudo, utilizaremos técnicas de análise proteômica quantitativa baseada em marcação isotópica de células em cultura (SILAC), em conjunto com fracionamento celular e de proteínas intactas e cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas avançada para estudar o processo EMT em linhagens celulares do câncer de pâncreas. As células do câncer de pâncreas serão estimuladas à EMT em cultura com os fatores de crescimento TGF-² e EGF com o intuito de induzir o caráter migratório, representando assim um modelo controlado de metástase, para que sejam identificadas proteínas alvo para a potencial inibição da metástase e/ou diagnóstico da doença metastática. Em conjunto com dados por nós previamente publicados, pretendemos priorizar proteínas biomarcadores candidatas para validação em amostras de pacientes.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CANCHAYA, Gabriela Norma Solano. Estudos proteômicos da transição epitélio-mensenquimal induzida por TGF-β e EGF em linhagens celulares de câncer de pâncreas. 2016. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.