Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação neuroendócrina do equilíbrio hidrossalino: aspectos fisiológicos, fisiopatológicos e moleculares

Processo: 11/14308-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Antunes Rodrigues
Beneficiário:Josiane de Campos Cruz
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/50611-8 - Regulação neuroendócrina do equilíbrio hidrossalino e da ingestão alimentar: aspectos fisiológicos, fisiopatológicos e moleculares, AP.TEM
Assunto(s):Ocitocina   Angiotensina II   Vasopressinas   Neuroendocrinologia

Resumo

Estudos prévios do grupo demonstraram a existência de um circuito neural, com a participação de vias sinápticas envolvendo neurotransmissores colinérgicos, adrenérgicos, serotoninérgicos e peptidégicos, que controlam as modificações da ingestão e/ou excreção de água e sódio. A partir destes estudos foi possível identificar a relevância dos peptídeos natriuréticos (ANP e BNP) no controle da ingestão e excreção de água e eletrólitos. . Dois modelos têm sido utilizados para o estudos em questão: expansão do volume extracelular (EVEC), sobrecarga salina ou restrição hídrica. A expansão de volume extracelular estimula os mecano-receptores sino-aórticos e renais, que após sinapses nos neurônios do núcleo do trato solitário, ativam neurônios noradrenérgicos do locus coeruleus e/ou serotoninérgicos dos núcleos da rafe, estimulando sinapses colinérgicas, adrenérgicas, gabaérgicas e ANPérgicas do hipotálamo, moduladoras da secreção de AVP, OT e ANP. Vários foram os trabalhos publicados por nós visando esclarecer os mecanismos das ações e interações destes hormônios, no hipotálamo, no coração e nos rins, bem como a participação do sistema nitrérgico na mediação das ações destes peptídeos (Physiol. Rev. 2004. No momento, estamos estudando: 1) as conexões neurais envolvendo o núcleo parabraquial lateral (NPBL) e outras áreas cerebrais utilizando técnicas de marcação retrógrada de vias utilizando Fluorogold e ativação neuronal através da expressão de c-Fos em resposta ao estímulo agudo da EVEC; 2) os efeitos das microinjeções bilaterais do antagonista serotoninérgico metisergida, do agonista serotonérgico DOI no NPBL sobre a expressão de neurônios com imunoreatividade dupla: a) proteína c-Fos/ocitocina (OT), b) proteína c-Fos/vasopressina (AVP) c) proteína c-Fos/tirosina hidroxilase (TH) e d) proteína c-Fos/serotonina (5HT) em resposta à expansão isotônica do volume do líquido extracelular (EVEC - 0,15 M); 3) os efeitos do sistema canabinóide endógeno sobre a ativação neuronal, síntese e secreção hormonal na modulação destas respostas neuroendócrinas; bem como, 4) os efeitos da sobrecarga salina (NaCl 0,3M), restrição hídrica sobre a expressão e conteúdo de NFºB no hipotálamo e concentrações plasmáticas de OT, AVP, ANP, corticosterona e TNF± em ratos intactos e adrenalectomizados; 5) além disto, tendo em vista a ampla demonstração da enzima sintase do óxido nítrico (NOS) em regiões do SNC, sabidamente relacionadas com a homeostase hidroeletrolítica e controle da pressão arterial, também avaliaremos a participação do óxido nítrico (NO) na modulação dos mecanismos centrais que controlam a ingestão e/ou excreção de água e eletrólitos e seu papel neuromodulador no controle da liberação do ANP, ocitocina, vasopressina e angiotensina II. Neste trabalho serão realizados vários estudos funcionais que utilizarão, além dos procedimentos clássicos de fisiologia e em especial de neuroendocrinologia, técnicas de imunocitoquímica, de biologia molecular e microinfusões para avaliação das interações dos neurônios ANPérgicos com os ocitocinérgicos, vasopressinérgicos e catecolaminérgicos, no mecanismo de ação central destes neuropeptídeos, tanto no controle neuroendócrino da ingestão/excreção hidrossalina, bem como no controle da liberação do ANP e eixo hipotálamo-hipófise-adrenal.Utilizaremos também culturas primárias de células hipotalâmicas com o objetivo de se estudar os efeitos da hiper-osmolalidade, bem como de neurotransmissores (colinérgicos, purinérgicos e peptidérgicos) sobre a captação de glutamato pelas células neuronais e da glia hipotalâmicas.