Busca avançada
Ano de início
Entree

Importância do peptídeo glucagon-like 1 (GLP-1) na manutenção do volume extracelular: abordagem funcional, farmacológica e molecular

Processo: 07/56127-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de outubro de 2007
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Adriana Castello Costa Girardi
Beneficiário:Adriana Castello Costa Girardi
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/52945-8 - Importância do peptídeo semelhante ao glucagon 1 (GLP-1) na manutenção do volume extracelular: abordagem funcional, farmacológica e molecular, AP.JP
Assunto(s):Diabetes mellitus tipo 2   Dipeptidil peptidase 4   Hipertensão   Peptídeo 1 semelhante ao glucagon

Resumo

O peptídeo semelhante ao glucagon 1 (GLP-1) possui ação insulinotrópica que contribui para a manutenção da glicemia, constituindo, portanto, um potencial alvo terapêutico para o tratamento do diabetes melittus tipo II. Descreveu-se recentemente que GLP-1 promove natriurese em ratos e humanos devido à diminuição da reabsorção de sódio acompanhada do decréscimo da secreção de hidrogênio. Estes dados sugerem que GLP-1 inibe a atividade do trocador Na/H NHE3 em células de túbulos proximais renais. Em estudos prévios demonstrei que o trocador NHE3 e a dipeptidil peptidase IV (DPPIV), enzima responsável pela degradação do GLP-1, formam um complexo protéico em túbulos renais. Estudos funcionais indicam que inibidores da DPPIV inibem a atividade do trocador NHE3. Baseando-se nestes relatos, propõe-se: (1) Avaliar o efeito do GLP-1 sobre a atividade do trocador NHE3 em células de túbulos proximais renais; (2) Verificar se o aumento da concentração plasmática do GLP-1 causa atenuação da hipertensão arterial em ratos SHR; (3) Utilizando-se abordagem proteômica, verificar se há diferenças na composição dos complexos protéicos formados com NHE3, DPPIV e GLP1R (receptor de GLP-1) em ratos SHR comparados ao grupo controle (ratos WKY). O conhecimento adquirido por meio deste projeto poderá fornecer uma maior compreensão dos mecanismos pelos quais indivíduos obesos e/ou diabéticos tipo II desenvolvem hipertensão arterial. (AU)