Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU concedido no processo INCT de Bioanalítica, 14/50867-3, microscópio eletroquímico de varredura e perfilômetro ótico

Processo: 17/26037-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de janeiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:Lauro Tatsuo Kubota
Beneficiário:Lauro Tatsuo Kubota
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50867-3 - INCT 2014: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioanalítica, AP.TEM
Assunto(s):Eletroquímica  Técnicas biossensoriais  Métodos bioanalíticos  Microscópio eletrônico  Perfilômetro  Métodos de análise 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU:https://iqm.unicamp.br/pesquisa/equipamento-multiusuário-microscópio-eletroquímico-de-varredura-e-perfilômetro-óptico
Tipo de equipamento:Caracterização de Materiais - Análises Químicas - Medidas eletroquímicas
Caracterização de Materiais - Análises de Superficies - Carga elétrica (SVET, microscópio eletroquímico)
Fabricante: Princeton Applied Research
Modelo: Verascan System

Resumo

A Química Analítica, nos últimos anos, tem direcionado grandes esforços no desenvolvimento de métodos analíticos voltados para a análise de amostras e/ou analitos de interesse biológico. O grande impacto das pesquisas nesta área proporcionou uma corrida ao desenvolvimento de métodos de análises químicas de substâncias de organismos vivos. Com o engajamento de químicos analíticos no desenvolvimento de métodos para fins biológicos, bioquímicos e clínicos, verificou-se um aumento muito grande de trabalhos na área, bem como o surgimento de grupos de pesquisas trabalhando especificamente na área de análises de amostras biológicas. A importância destes trabalhos levou ao nascimento da área de Bioanalítica, como um grande foco de atuação de químicos analíticos. No país, entretanto, a Bioanalítica ainda é bastante incipiente e alguns pesquisadores trabalham com diferentes técnicas analíticas para desenvolver métodos de bioanálise, embora esta área seja de grande importância estratégica para o país. Mesmo diante desta importância estratégica, muito pouco tem sido feito para desenvolver ferramentas analíticas para diagnóstico de doenças, distúrbios, ação farmacológica, entre outros. Foi neste contexto que o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioanalítica? INCTBio foi criado em 2009, com o objetivo de realizar trabalhos coordenados com trocas de informações entre pesquisadores de diferentes áreas de atuação para buscar a consolidação da área no país. Dentre as preocupações na criação do Instituto de Bioanalítica, havia a formação de recursos humanos e a difusão da área na sociedade , bem como a transferência para a sociedade dos benefícios proporcionados com o desenvolvimento de ferramentas analíticas para a melhoria da qualidade de vida, seja na especiação de moléculas biológicas de interesse, no desenvolvimento de métodos analíticos que possam fornecer resultados rápidos e muitas vezes em tempo real, ou na utilização de ferramentas matemáticas quando for necessária a interpretação de dados complexos, entre outras descritas no detalhamento das linhas de pesquisas inseridas nesta proposta. Durante os últimos 05 anos de existência do INCTBio, a equipe contou com a parceria e colaboração de 39 pesquisadores de 22 instituições diferentes. Inicialmente, buscou-se selecionar os melhores pesquisadores para integrar a equipe, levando-se em consideração a questão regional, instituições e pesquisadores jovens. Uma das metas da equipe foi a consolidação e o fortalecimento de grupos jovens e instituições recentes sem grande tradição de pesquisa. Hoje, estes grupos foram consolidados e muitos se tornaram referência em Bioanalítica no país, impulsionando o desenvolvimento da ciência em regiões antes esquecidas no cenário científico. O desenvolvimento dos projetos dentro do INCTBio foi se adequando as necessidades emergentes, com foco no interesse estratégico do país, como foi ressaltado pelo assessor do quarto relatório. (AU)