Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de novas tecnologias para detecção de HPV na urina - extensão de projeto de pesquisa "Bill and Melinda Gates Foundation"

Processo: 16/19527-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Medicina Preventiva
Convênio/Acordo: Gates Foundation
Pesquisador responsável:José Humberto Tavares Guerreiro Fregnani
Beneficiário:José Humberto Tavares Guerreiro Fregnani
Instituição-sede: Hospital do Câncer de Barretos. Fundação Pio XII (FP). Barretos , SP, Brasil
Pesq. associados:Adhemar Longatto Filho ; Cristina Mendes de Oliveira ; Fabiana de Lima Vazquez ; Rui Manuel Vieira Reis
Bolsa(s) vinculada(s):18/02349-4 - Avaliação de novas tecnologias para detecção de HPV na urina: extensão de projeto de pesquisa Bill and Melinda Gates Foundation, BP.TT
17/00631-1 - Avaliação de novas tecnologias para detecção de HPV na urina: extensão de projeto de pesquisa "Bill and Melinda Gates Foundation", BP.TT
Assunto(s):Urina  Infecções por Papillomavirus  Ginecologia 

Resumo

A infecção pelo papilomavírus humano (HPV) pode causar tanto desordens proliferativas benignas, como malignas, especialmente no colo do útero. O câncer no colo do útero é o segundo tipo de neoplasia maligna mais prevalente nas mulheres, globalmente sendo responsável por aproximadamente 500 mil novos casos por ano e mais de 250 mil mortes no mundo. No Brasil, estimou-se que em 2016 ocorreriam 16.340 novos casos. O câncer no colo uterino trata-se de uma neoplasia passível de prevenção através da detecção de lesões precursoras por meio de teste citopatológico. No entanto, nem todas as mulheres participam de programas de prevenção. No Brasil, em 2012, cerca de 8 milhões de testes Papanicolaou foram realizados, sugerindo uma cobertura de 48%. Projetos que superem as barreiras que impedem as mulheres de participar do programa de prevenção do câncer cervical, como falta de acesso ao sistema de rastreio, a escassez de médicos para realizar os testes e interpretá-los, são necessários. Essa superação das barreiras pode ser obtida por meio da utilização de testes que possam ser realizados em casa pela própria mulher. Em virtude disso, o presente projeto visa desenvolver um novo sistema de rastreio de câncer cervical que utiliza a detecção da oncoproteína E6 na urina, e permite que a própria mulher o realize e interprete em casa. (AU)