Busca avançada
Ano de início
Entree

Inovação para a bioeconomia no Brasil: desafios e obstáculos no desenvolvimento tecnológico para uma a utilização rentável e sustentável da biomassa

Processo: 13/50950-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOEN - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2014 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economias Agrária e dos Recursos Naturais
Convênio/Acordo: BE-BASIC Consortium
Pesquisador responsável:José Maria Ferreira Jardim da Silveira
Beneficiário:José Maria Ferreira Jardim da Silveira
Instituição-sede: Instituto de Economia (IE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Bioeconomia  Bioenergia  Biomassa  Sustentabilidade  Inovações tecnológicas 

Resumo

O presente estudo visa avaliar as oportunidades, desafios e obstáculos para o desenvolvimento tecnológico visando a utilização sustentável e rentável da biomassa no Brasil. Já existe um amplo conhecimento acerca dos parâmetros técnico científicos que envolvem a implementação de projetos que utilizam inovações no campo da bioenergia, especificamente no campo da segunda geração (DIAS et al., 2011; DIAS et al., 2013). Todavia, em função do processo intenso de mudança que vem ocorrendo em todas as áreas de bioenergia, novos desafios emergem assim como obstáculos que só podem ser superados com base no conhecimento de como ocorre, em diferentes segmentos da cadeia produtiva do setor, a relação entre novas tecnologias e tecnologias existentes, o papel dos requisitos de sustentabilidade em cada etapa, seus efeitos conjuntos na rentabilidade esperada das inovações tecnológicas. Um ponto de extrema importância é a relação entre os desenvolvimentos tecnológicos que estão sendo realizados no Brasil e as possibilidades de transferência tecnológica de conhecimentos acumulados por organizações (consórcios, parcerias público-privadas, firmas privadas) viabilizando novos investimentos e dinamizando o mercado de tecnologia relacionados à bioeconomia. O papel da regulação e dos requisitos de sustentabilidade, assim como a visão do público sobre os biocombustíveis interfere no processo de forma complexa, na medida que pode elevar os custos de P&D e dos investimentos, assim como contribuir para a eliminação de barreiras não-tarifárias ao comércio de produtos da bioenergia. Os critérios de sustentabilidade também contribuem para a agregação de valor à cadeia, na medida em que são considerados os impactos ambientais favoráveis da difusão dessas novas tecnologias. Prevê-se, na metodologia, a realização de um roadmap focado no setor químico, que considera desde aspectos de propriedade intelectual até a atitude dá opinião pública, passando por questões típicas da relação entre os diferentes elos da cadeia em questão. Em seguida, são realizadas oficinas de trabalho para discutir os resultados, aplicando metodologia multicritério. Paralelamente, são desenvolvidas simulações com base em modelos Baseados em Agente para análise de processos-chave de difusão, identificadas no roadmap e nas oficinas com especialista. (AU)