Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel das células estromais mesenquimais na patogênese do diabetes autoimune experimental

Processo: 12/50768-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2014 - 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Convênio/Acordo: CNPq - Programa Primeiros Projetos
Pesquisador responsável:Kelen Cristina Ribeiro Malmegrim de Farias
Beneficiário:Kelen Cristina Ribeiro Malmegrim de Farias
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Hiperglicemia  Diabetes mellitus tipo 1  Células estromais  Células-tronco mesenquimais 

Resumo

As células estromais multipotentes mesenquimais são encontradas no estroma de todos os tecidos no adulto e provavelmente localizam-se no nicho perivascular. Devido a sua localização, propriedades regenerativas, imunossupressoras e imunorreguladoras, tem sido sugerido que elas funcionam como verdadeiras sentinelas estromais in vivo, inibindo as respostas inflamatórias potencialmente destrutiva ao tecido e regulando a regeneração tecidual. Nos últimos anos, populações de células estromais mesenquimais pancreáticas (pMSCs) foram descritas em culturas de tecido pancreático endócrino e exócrino. Entretanto, não existem resultados conclusivos em relação à sua localização in vivo, sua verdadeira origem e, muito menos, quanto ao papel dessas células no tecido pancreático. Assim, a hipótese desse trabalho é que pMSCs compartilham as características biológicas e imunorreguladoras de outras populações estromais e também sofrem modulação constante do ambiente pancreático durante todas as fases do desenvolvimento e progressão do diabetes autoimune experimental. Este projeto objetiva estudar o papel das células estromais mesenquimais pancreáticas na patogênese do diabetes autoimune experimental. Para isso, estabelecemos as seguintes metas específicas: 1, Isolar e caracterizar pMSCs de camundongos BALB/c; 2, Caracterizar pMSCs "recentemente isoladas" por sorting de camundongos BALB/c; 3, Determinar os mecanismos envolvidos nas propriedades immunossupressora e imunorreguladora das pMSCs; 4, Investigar os efeitos da hiperglicemia nas propriedades imunossupressora e imunorreguladora das pMSCs; 5, Determinar o envolvimento das pMSCs durante o desenvolvimento e patogênese do diabetes autoimune experimental; 6, Determinar a localização in situ das pMSCs em camundongos BALB/c controles e em todas as etapas do desenvolvimento do diabetes autoimune experimental em camundongos NOD. (AU)