Busca avançada
Ano de início
Entree

Fibras ópticas amplificadoras de sílica dopadas com érbio

Processo: 01/13406-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2002 - 31 de maio de 2006
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Carlos Kenichi Suzuki
Beneficiário:Carlos Kenichi Suzuki
Empresa:Sun Quartz Indústria Comércio e Manutenção de Dispositivos e Equipamentos para a Área de Telecomunicação Ltda. - ME
Município: Campinas
Bolsa(s) vinculada(s):03/01163-9 - Fibras ópticas amplificadoras de sílica dopadas com érbio, BP.PIPE
03/00823-5 - Fibras ópticas amplificadoras de sílica dopadas com érbio, BP.TT
03/00822-9 - Fibras ópticas amplificadoras de sílica dopada com érbio, BP.TT
03/00821-2 - Fibras ópticas amplificadoras de sílica dopadas com érbio, BP.TT
Assunto(s):Engenharia eletrônica  Dopagem eletrônica  Sílica vítrea  Amplificadores ópticos  Deposição axial na fase vapor  Érbio 

Resumo

Grande parte dos amplificadores ópticos funciona com fibras amplificadoras de sílica dopada com érbio. Embora o Brasil tenha elevado potencial industrial para produzir fibras ópticas standard, a fibra de érbio é ainda um produto de importação. Baseado na larga experiência adquirida pelo Laboratório Ciclo Integrado de Quartzo (LIQC) em tecnologia VAD (Vapor-phase Axial Deposition) para fabricação de preformas de sílica para fibras ópticas, este projeto propõe o desenvolvimento de fibras de érbio a partir de cinco etapas básicas de processamento VAD, considerado o método mais eficiente e econômico de fabricação: a) obtenção da preforma porosa de sílica; b) dopagem com érbio a partir da imersão da preforma porosa em solução líquida; c) tratamento termo-químico para secagem, eliminação de hidroxilas e consolidação em preformas totalmente transparentes e livres de microbolhas; d) confecção da casca mecânica por over-cladding; e e) puxamento em fibras ópticas. A metodologia de dopagem com érbio (difusão) será realizada por imersão da preforma porosa de sílica em solução líquida. Grande parte da caracterização nos diversos estágios de processamento da preforma serão conduzidos usando a infra-estrutura disponível no LIQC e no Departamento de Engenharia de Materiais da FEM. Para o puxamento em fibras e a sua caracterização poderemos contar com a colaboração da Xtal Fibras Ópticas e do Grupo de Fibras Ópticas e Fotônica do Instituto de Física da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É interessante ressaltar que o alto valor agregado à fibra de érbio, aliado ao pequeno volume de produção para atender à demanda no país, apresenta uma outra grande vantagem ao projeto. Tanto as fases de P&D (fases 1 e 2) quanto a etapa de comercialização poderão ser realizadas usando a infra-estrutura já estabelecida no LIQC. (AU)

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

SISTEMA DE SENSORIAMENTO ÓPTICO PARA COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS PI0703260-9 - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) . Carlos Kenichi Suzuki; Edmilton Gusken; Allan Caro Mercado; Eric Fujiwara; Eduardo Ono - 06 de agosto de 2007