Busca avançada
Ano de início
Entree

Preparo e caracterização de um material de referência de mexilhão (Perna perna)

Processo: 06/06556-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2007 - 31 de maio de 2009
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Marina Beatriz Agostini Vasconcellos
Beneficiário:Marina Beatriz Agostini Vasconcellos
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Absorção atômica  Mexilhão 

Resumo

A demonstração de que os resultados analíticos são obtidos com qualidade, isto é, de que são adequados ao uso pretendido, é cada vez mais um requisito essencial na garantia da qualidade de produtos e processos, tanto na indústria quanto no comércio e em pesquisa aplicada, podendo afetar decisões econômicas, políticas e de proteção ao meio ambiente, como no monitoramento ambiental, na implementação de valores limites para poluentes e no planejamento de ações corretivas. Em uma análise química, deve-se demonstrar a qualidade do trabalho e uma maneira de atingir este objetivo é a comparação do resultado obtido para uma amostra real com um valor designado de um material conhecido, o material de referência, MR, que possui valores de propriedade suficientemente homogêneos e bem estabelecidos. Desta forma, é possível a identificação e quantificação de uma substância de interesse. MRs também são utilizados para a validação de métodos analíticos, em estudos interlaboratoriais e testes de proficiência e na garantia da qualidade, como em esquemas de controle estatístico de processo que utilizem gráficos ou cartas de controle. Quando os valores de propriedade do MR são certificados por um procedimento que estabelece a rastreabilidade destes valores a um valor exato da unidade SI na qual os valores de propriedade são expressos, acompanhado de uma incerteza para um nível de confiança estabelecido, o MR é denominado material de referência certificado, MRC. A produção de MRCs no Brasil é ainda incipiente, com destaque para a importante contribuição do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, IPT, na área de MRC de materiais siderúrgicos (ligas metálicas e materiais não ferrosos). Outras iniciativas de destaque são a produção de MRs de urânio e tório pela Comissão Nacional de Energia Nuclear, CNEN e do Instituto Nacional de Controle de Qualidade na Saúde, INCQS, que têm produzido MRs para substâncias químicas, biológicas, fungos, bactérias, soros antiofídicos e vacinas Face à crescente demanda de materiais de referência por laboratórios nacionais e ás dificuldades de aquisição de materiais dessa natureza importados,de instituições como o NIST (Estados Unidos), Agência Internacional de Energia Atômica (Áustria) e IRMM (Bélgica) decidiu-se, no presente projeto, desenvolver todas as etapas necessárias para a produção e certificação de um material de referência de mexilhão (Perna perna) ,que é uma iniciativa inédita no Brasil. Esse organismo marinho foi escolhido, por ser o maior mitilídeo brasileiro, encontrado em abundância em nossa costa, sendo atualmente cultivado, no Estado de São Paulo, nas cidades de Caraguatatuba, São Sebastião e Ubatuba. Existem diversos MRs de organismos marinhos ,produzidos pels citadas instituições, como o IAEA-407 (Fish Tissue), NIST 2976 (Mussel Tissue) e NIST 1566b (Oyster Tissue). Esses materiais são muito utilizados em laboratórios analíticos que realizam pesquisas sobre contaminação ambiental de ambientes marinhos e especialmente no LAN/IPEN está sendo realizado atualmente um estudo sobre biomonitoração de regiões do litoral de São Paulo, com apoio do CNPQ, quanto aos teores de elementos-traço, por meio de experimentos de transplante do mexilhão Perna perna, em colaboração com o Instituto Oceanográfico da USP. Para a caracterização do material de referência preparado no LAN,serão empregados básicamente dois métodos analíticos: a análise por ativação neutrônica (AAN) e a absorção atômica( CVAAS e forno de grafite). A AAN é um método tradicional do LAN,que apresenta alta precisão,exatidão e sensibilidade.Por meio da AAN poderão ser determinados provavelmente os elementos: As, Ca, Cu,Co, Cr, Fe, Na, Sc, Se, Zn, terras raras. Por meio da técnica de CVAAS, poderá ser determinado o Hg e sua forma mais tóxica, o MeHg e com o forno de grafite, também os elementos Pb e Cd, altamente tóxicos e com características não favoráveis para a AAN. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MOREIRA, E. G.; VASCONCELLOS, M. B. A.; SANTOS, R. G.; MARTINELLI, J. R. Element content and particle size characterization of a mussel candidate reference material. Journal of Radioanalytical and Nuclear Chemistry, v. 303, n. 1, p. 783-788, JAN 2015. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.