Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese de melatonina na glândula pineal de ratos: modulação pelo glutamato

Processo: 04/04328-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2004 - 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Solange Castro Afeche
Beneficiário:Solange Castro Afeche
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Melatonina  Glutamatos  Óxido nítrico  NF-kappa B 

Resumo

A glândula pineal sintetiza o hormônio melatonina com um ritmo circadiano. A produção noturna desse hormônio é dependente da estimulação pela noradrenalina liberada dos terminais simpáticos que inervam a glândula. A noradrenalina estimula os receptores adrenérgicos desencadeando a ativação de segundos mensageiros e a síntese de melatonina. Esta, por sua vez, é liberada na circulação e tem sua ação sobre receptores de membrana ou diretamente em processos intracelulares, podendo modificar diferentes reações que ocorrem no interior das células. Além da inervação simpática, a glândula pineal também recebe inervação parassimpática. A ação da acetilcolina em receptores nicotínicos pós-sinápticos, promove a despolarização da membrana dos pinealócitos, tendo como consequência a entrada de cálcio pelos canais do tipo L. O cálcio induz a liberação do glutamato que está estocado em microvesículas. Este age paracrinamente nos seus receptores, tanto ionotrópicos quanto metabotrópicos, e o seu efeito é inibitório sobre a síntese de melatonina. No sistema nervoso central, a ativação do receptor ionotrópico glutamatérgìco do tipo N-Metil-D-Aspartato (NMDA) leva a um aumento do cálcio intracelular, induzindo a síntese de óxido nítrico (NO). Este é um neurotransmissor gasoso, mediador de vários processos fisiológicos e patológicos. A produção excessiva de NO no SNC está, muitas vezes, relacionada com o processo de morte celular. A participação do NO na ativação do NF-κB foi explorada em diversos tipos celulares, tendo-se encontrado uma ação como um agente ativador em alguns estudos e, em outros, como supressor. Além disso, várias evidências sugerem que as espécies reativas de oxigênio (ROS) ativam este mesmo fator através do aumento dos níveis intracelulares de Ca2+. Esse trabalho tem como objetivo verificar a influência do NO e do NF-kB na sinalização intracelular mediada pelo glutamato envolvendo os receptores do sub-tipo NMDA e sua relação com a síntese de melatonina na glândula pineal de ratos. Para isso iremos avaliar as alterações na síntese de melatonina, na atividade da NOS, na indução do NF-kB e da CREB, e na atividade das enzimas N-acetiltransferase (NAT), triptofano hidroxilase e HIOMT e expressão da NAT, em cultura de glândulas pineais, ou de pinealócitos isolados, incubados com noradrenalina e glutamato, na ausência ou na vigência de pré-tratamento com inibidores do receptor NMDA (MK-801) e da NOS neuronal (7-Ni). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VILLELA, DARINE; LIMA, LARISSA DE SA; PERES, RAFAEL; PELICIARI-GARCIA, RODRIGO ANTONIO; DO AMARAL, FERNANDA GASPAR; CIPOLLA-NETO, JOSE; SCAVONE, CRISTOFORO; AFECHE, SOLANGE CASTRO. Norepinephrine activates NF-kappa B transcription factor in cultured rat pineal gland. Life Sciences, v. 94, n. 2, p. 122-129, JAN 17 2014. Citações Web of Science: 11.
VILLELA, DARINE; ATHERINO, VICTORIA FAIRBANKS; LIMA, LARISSA DE SA; MOUTINHO, ANDERSON AUGUSTO; DO AMARAL, FERNANDA GASPAR; PERES, RAFAEL; DE LIMA, THAIS MARTINS; TORRAO, ANDREA DA SILVA; CIPOLLA-NETO, JOSE; SCAVONE, CRISTOFORO; AFECHE, SOLANGE CASTRO. Modulation of Pineal Melatonin Synthesis by Glutamate Involves Paracrine Interactions between Pinealocytes and Astrocytes through NF-kappa B Activation. BIOMED RESEARCH INTERNATIONAL, 2013. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.