Busca avançada
Ano de início
Entree

Probiótico vegetal para a recomposição biológica de plantas de soja cultivadas em ambientes de produção degradados

Processo: 19/22765-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de junho de 2020 - 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:André May
Beneficiário:André May
Empresa:Revbio - Serviços em Sanidade e Nutrição Vegetal Ltda
CNAE: Cultivo de soja
Município: Paulínia
Vinculado ao auxílio:17/15556-5 - Probiótico vegetal para a recomposição biológica de plantas de soja cultivadas em ambientes de produção degradados, AP.PIPE
Assunto(s):Química orgânica  Adjuvantes imunológicos  Bioprocessos  Bioprodutos  Prebióticos  Plantio  Soja 

Resumo

Atualmente, no Brasil, em áreas produtoras manejadas anualmente de forma intensiva por meio de cultivo sequencial, com a predominância do cultivo de soja, tem sido observado o crescimento de ocorrência de áreas com indicativos de degradação biológica. Esses indicativos podem ser diagnosticados pela perda paulatina da rentabilidade ou pela estagnação produtiva de talhões individualizados, claramente verificados pela elevação constante, comparando diferentes anos agrícolas, da necessidade da aplicação de pesticidas para a manutenção produtiva dessas lavouras, em razão da ocorrência, cada vez mais severa, de pragas e doenças, levando à utilização de técnicas de manejo emergenciais, com elevado potencial de impacto ambiental. Assim, a pesquisa tem indicado que pode estar havendo um colapso de sistemas produtivos associados ao cultivo sequencial de soja por longos períodos, em função da exaustão dos processos de recomposição biológica desses ambientes de cultivo. Sabe-se que os micro-organismos endofíticos estão envolvidos na aquisição de nutrientes, no sistema imune, crescimento e na proteção da planta contra a invasão de patógenos. Entretanto, áreas de cultivo sofrem pela seleção de diversidade microbiana tanto no solo quanto dentro da planta pelo uso excessivo de agroquímicos. O questionamento está endereçado em estratégias de manejo que auxilie a planta quando em áreas previamente degradadas a recrutar micro-organismos endofiticos que a ajude em seu sistema imune, resultando na saúde da planta e no aumento de produtividade. Dessa forma, a inovação proposta nesse projeto provou conceitualmente, na FASE 1, geradora do depósito de patente BR 10 2019 014734 2, a tecnologia de recomposição biológica de plantas cultivadas em talhões colapsados ou degradados, visando a revitalização produtiva e econômica, através do uso de extrato vegetal, advindo de plantas sadias de soja, cultivadas anteriormente em condições controladas aplicando-o em sementes para a formação de lavouras comerciais da mesma espécie nesses ambientes com prenúncios de desequilíbrio biótico e com alta fragilidade biológica, admitindo a hipótese de que as plantas inoculadas com o conteúdo microbiológico contido no extrato vegetal de plantas sadias melhoram sua tolerância aos estresses bióticos e abióticos comuns em ambientes de produção de soja. Assim, o extrato vegetal advindo dessas plantas poderá ser pulverizado em sementes, antes do semeio da nova lavoura de soja ou outra cultura estudada, cultivadas, por sua vez, em ambientes com problemas de desequilíbrio biótico. Dessa forma, como foi comprovada melhoria no desenvolvimento das plantas tratadas com o extrato dessas plantas, propõe-se a FASE 2 do PIPE para se desenvolver tecnologias de elaboração de um produto para comercialização, em diferentes culturas agrícolas, como foco principal em soja, milho, feijão, batata e tomate.Na FASE 1 do PIPE proposto, a comprovação técnica do uso de um extrato vegetal advindo de plantas sadias cultivadas em jardim clonal para tratamento de plantas de mesma espécie cultivada em sequência em ambientes com desequilíbrio biótico resultou em um vantajoso insumo agrícola, sustentável, com baixo impacto ambiental e ainda ausente no mercado nacional ou internacional. (AU)