Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações na dinâmica eletrolítica salivar após exposição à sacarose em crianças com cárie na primeira infância

Processo: 20/03477-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de maio de 2020 - 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Marines Nobre dos Santos Uchôa
Beneficiário:Marines Nobre dos Santos Uchôa
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Química bioinorgânica  Cariologia  Sacarose 

Resumo

Este estudo procurou explorar se o efeito do bochecho com sacarose (BS) a 20% sobre a concentração eletrolítica salivar de cálcio (Ca2 +), fosfato (Pi) e fluoreto (F-) em crianças com Cárie na Primeira Infância (CPI) é diferente de saudável crianças. Aqui, sessenta pré-escolares de 3 a 5 anos foram divididos em 2 grupos: livre de cárie (LC) e com CPI. Foram avaliadas alterações no fluxo salivar, pH e capacidade tampão(BC), bem como nas concentrações de Ca2 +, Pi e F-, e no grau de saturação em relação à hidroxiapatita (GS HAp) e fluorapatita (GS FAp). No pré-bochecho o [Ca2 +] foi maior no grupo CPI que no grupo LC. Um aumento significativo em [Ca2 +] foi demonstrado após o BS no grupo LC (p = 0,05). O [Pi] foi reduzido em 18% após BS no grupo CPI (p = 0,007). O [F-] reduziu em ambos os grupos após o BS (p <0,000). Houve uma correlação positiva moderada entre [Ca2 +] e o GS HAp e GS FAp. A análise multivariada mostrou que crianças com [Ca2 +] mais alto na saliva no pré-bochecho são mais propensas a terem CPI. Em conclusão, o efeito do bochecho com sacarose a 20% na concentração eletrolítica de Ca2 +, Pi e F- foi diferente quando as crianças com CPI foram comparadas com crianças livres de cárie. (AU)