Busca avançada
Ano de início
Entree

Perda de biodiversidade em unidades de conservação paulistas e práticas para restauração ecológica

Processo: 19/19293-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2020 - 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Convênio/Acordo: Secretaria do Meio Ambiente - Fundação Florestal
Pesquisador responsável:Vânia Regina Pivello
Beneficiário:Vânia Regina Pivello
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Dalva Maria da Silva Matos ; Marcelo Nivert Schlindwein ; Maria Tereza Grombone Guaratini ; Paulo Henrique Peira Ruffino ; Rafael de Oliveira Xavier ; Raquel Stucchi Boschi
Assunto(s):Conservação da biodiversidade  Áreas de conservação  Restauração ecológica  Cerrado  Manejo ambiental 

Resumo

Este projeto visa avaliar e melhor compreender perdas de biodiversidade da flora nativa submetida a dois fortes vetores de degradação - as invasões biológicas e o adensamento da vegetação no Cerrado -, assim como desenvolver técnicas para a conservação e restauração das comunidades nativas na Estação Ecológica de Santa Maria (EESM) e na Gleba Cerrado Pé-de-Gigante, parte do Parque Estadual de Vassununga (PEV). Os resultados obtidos fornecerão subsídios para embasar políticas e práticas para o manejo da biodiversidade e restauro ecológico em unidades de conservação (UCs) do estado de São Paulo que, assim como o PEV e a EESM, vêm enfrentando sérios problemas com espécies exóticas invasoras (EEI) e adensamento das fisionomias de cerrado. Ainda, teremos a oportunidade de repetir a amostragem da flora do cerrado Pé-de-Gigante (PEV) após 22 anos e verificar sua efetiva mudança. Tais comparações em longo prazo, especialmente da comunidade herbácea, são muito raras. Entre os principais resultados está a aproximação e o trabalho conjunto de pesquisadores e gestores das UCs, movidos num objetivo comum de encontrar alternativas para a manutenção e proteção da biodiversidade e dos processos ecológicos nas áreas protegidas, aproximando a pesquisa cientifica do manejo ecológico e restauração da biodiversidade. Além disso, o projeto visa levar conhecimento ecológico à comunidade escolar local, bem como ao público residente no entorno do PEV e da EESM. Serão organizados seminários e oficinas para avaliação dos resultados, adequação de metodologia, seleção de alternativas de manejo e discussão de quaisquer assuntos pertinentes. (AU)