Busca avançada
Ano de início
Entree

Ligação e interações de toxinas brasileiras em canais de sódio dependentes de voltagem: a busca racional por novos fármacos

Processo: 19/19799-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2020 - 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Convênio/Acordo: BBSRC, UKRI
Pesquisador responsável:Ana Paula Ulian de Araujo
Beneficiário:Ana Paula Ulian de Araujo
Pesq. responsável no exterior: Bonnie Ann Wallace
Instituição no exterior: University of London, Inglaterra
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:Denise Vilarinho Tambourgi ; Jose Luiz de Souza Lopes ; Manoel de Arcisio Miranda Filho
Vinculado ao auxílio:14/15546-1 - Septinas: estudos comparativos visando correlacionar estrutura e função, AP.TEM
Assunto(s):Canais iônicos  Proteínas da membrana  Biologia estrutural  Toxinas 

Resumo

As toxinas presentes no veneno de animais peçonhentos têm como alvo específico os canais iônicos presentes nas membranas celulares dos seres humanos e de outros organismos. Os canais de sódio, responsáveis pelo início do potencial de ação em células excitáveis, podem formar complexos estáveis com essas toxinas, resultando na inativação ou modulação de suas funções. Neste contexto, a presente proposta pretende reunir os fundamentos para um estudo completo das interações entre toxinas brasileiras e canais iônicos com uma série de estudos estruturais, biofísicos e funcionais. Especificamente, a proposta visa a investigação da ação de novas toxinas naturais, produzidas por espécies nativas brasileiras, e de seus efeitos funcionais e de ligação em canais de sódio dependentes de voltagem. A proposta combina a experiência dos parceiros no Reino Unido na produção, cristalização e biologia estrutural destes canais de sódio, implementando esse know-how no Brasil, que conta com as habilidades necessárias aos estudos fisiológicos, funcionais e de formação de complexos desses canais com as toxinas. Os ensaios de ligação e de eletrofisiologia, aliados aos estudos estruturais dos complexos canais-toxinas fornecerão evidências para as maneiras específicas de modular a ação dos canais, que serão válidas para o desenho e desenvolvimento de novas toxinas sintéticas que possam ter valor para a indústria bioquímica. (AU)