Busca avançada
Ano de início
Entree

A mosca de fruta Drosophila melanogaster como um modelo animal alternativo para a investigação translacional de mecanismos moleculares de doenças humanas hepáticas

Processo: 19/16406-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2020 - 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Convênio/Acordo: CNRS
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Karen Cristiane Martinez de Moraes
Beneficiário:Karen Cristiane Martinez de Moraes
Pesq. responsável no exterior: Jacques Montagne
Instituição no exterior: Institut de Biologie Intégrative de la Cellule (I2BC), França
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/05286-3 - Análise mecanístico-funcional do microRNA 1914-5p no processo pro-esteatótico hepático não alcoólico em cultura celular, AP.R
Assunto(s):Biologia molecular  Hepatopatias  Hepatopatia gordurosa não alcoólica  Fígado gorduroso  Metabolismo dos lipídeos  Proteômica  MicroRNAs  Mosca-das-frutas  Drosophila melanogaster  Alternativas ao uso de animais  Cooperação internacional 

Resumo

As doenças hepáticas são consideradas um dos maiores problemas de saúde mundiais e o número de pessoas afetadas pelas doenças do fígado gordo não alcoólicas (NAFLD) vem crescendo nas últimas décadas. A patologia progride de um estágio inicial benigno denominado fígado gordo não alcoólico (NAFL) a estágios mais avançados, tais como cirrose e hepatocarcinoma. Entretanto, os mecanismos moleculares que subsidiam a progressão da doença precisa ainda ser profundamente detalhado anteriormente ao desenvolvimento de estratégias terapêuticas inovativas. Nesse contexto, a tecnologia do RNA e novas ferramentas genéticas emergiram como abordagens moleculares inovadoras e eficientes para se decifrar as rotas moleculares que potencialmente controlam ou revertem NAFLDs e suas patologias correlacionadas. Dr. Moraes foi contemplada com um projeto FAPESP regular para desenvolver análises proteômicas seguida das alterações nos níveis do micro RNA 1914-5p em linhagens celulares. Em condições de cultivo pro-esteatótico, esse miRNA demonstrou controlar o metabolismo de lipídeos, respaldado pelos seus mais de 100 alvos potencias de moléculas de mRNAs decodificadoras de proteína, conectadas ao metabolismo lipídico. Para validar a análise proteômica, o modelo in vivo é essencial e objetivos utilizar a Drosophila melanogaster como ferramenta genética, que se caracteriza com um poderoso modelo sistêmico para o estudo de doenças metabólicas. Esse projeto de colaboração irá fortalecer as interações entre pesquisadores do CNRS e do Estado de São Paulo. (AU)