Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e avaliação de glicoconjugados com aplicações em oncologia humana e veterinária

Processo: 18/14759-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de junho de 2019 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Vanessa Leiria Campo
Beneficiário:Vanessa Leiria Campo
Empresas:Empresa a definir
V.L. Campo
CNAE: Atividades de serviços de complementação diagnóstica e terapêutica
Atividades de atenção à saúde humana não especificadas anteriormente
Município: Ribeirão Preto
Pesq. associados:Marcelo Dias Baruffi ; Marcelo Fiori Marchiori
Assunto(s):Oncologia  Biotecnologia  Química médica  Atenção à saúde  Saúde pública veterinária  Antineoplásicos  Glicoconjugados  Mucinas  Imunoterapia 

Resumo

Dentre as principais patologias que afetam humanos e animais está o câncer, com 16 milhões de novos casos anuais em humanos e cerca de 225 mil mortes anuais no Brasil, além de ser uma das principais causas de morte em animais pets. O câncer de mama é o câncer mais freqüente em mulheres, excluindo os casos de pele; só no Brasil, o Ministério da Saúde estima mais de 50 mil casos novos por ano. Ainda, apesar de raro, o câncer de mama também pode ocorrer em homens. Em relação a pets, o câncer de mama em fêmeas já é a principal causa de morte em cães nos países desenvolvidos, com projeção semelhante para o Brasil. As terapias convencionais de combate ao câncer são baseadas no tripé "Cirurgia, Quimioterapia e Radioterapia", as quais, no entanto, não são efetivas em todos os casos, além de desencadearem efeitos colaterais indesejáveis decorrentes, principalmente, da falta de seletividade, atingindo também células sadias do organismo. Adicionalmente, há elevados índices de recidiva tumoral associada às terapias convencionais descritas, com possibilidade de reaparecimento da doença sob formas mais graves, implicando no desenvolvimento de novas células cancerosas resistentes à terapia prévia e com potencial metastático. Desta forma, a utilização de vacinas (imunoterapia), baseadas na estimulação do sistema imune para combater as células tumorais, traduz-se como uma estratégia inovadora, segura e eficaz de combate ao câncer em humanos e pets, com menores probabilidades de efeitos colaterais e de recidiva tumoral se comparadas às terapias convencionais. As principais vacinas antitumorais disponíveis comercialmente são a Provenge®, contra o câncer de próstata avançado em humanos, e a Oncept® destinada ao tratamento de melanomas em cães; porém, não há nenhuma vacina comercial contra câncer de mama em humanos e cães. Neste contexto, o desenvolvimento de vacinas antitumorais a partir de glicoconjugados sintéticos análogos a antígenos de células tumorais, tal como apresentado nesta proposta, representa uma linha de frente na terapêutica contra tumores de mama em humanos e cães. Dentre os antígenos tumorais de maior relevância clínica para o câncer de mama está a mucina MUC1, a qual é uma glicoproteína co-expressa em células tumorais de mama humana e canina, sendo considerado um alvo para o desenvolvimento de vacinas. Assim, esta proposta tem como objetivo o desenvolvimento e avaliação de glicopeptídeos sintéticos, análogos de MUC1, visando a obtenção de vacinas contra câncer de mama humano e canino. Tendo em vista a expansão do mercado global de vacinas anticâncer para uso humano (4 milhões de dólares em 2016), bem como do mercado de terapêuticos contra câncer em pets (140 milhões de dólares em 2016), acredita-se que a obtenção de uma vacina sintética com base no antígeno tumoral MUC1 poderá representar uma opção terapêutica mais segura e eficaz no tratamento do câncer de mama, e deverá apresentar extensa aplicação em mercados destinados à saúde humana e veterinária, envolvendo tanto órgãos públicos de pesquisa e saúde, bem como empresas privadas. (AU)