Busca avançada
Ano de início
Entree

Biopolímeros para separação de espécies orgânicas e inorgânicas

Processo: 18/15311-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Bioen - PIPE
Vigência: 01 de março de 2019 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Gabriel Gustinelli Arantes de Carvalho
Beneficiário:Gabriel Gustinelli Arantes de Carvalho
Empresa:Vert Pesquisa, Desenv. Experimental Ciências Físicas Naturais Ltda
CNAE: Fabricação de produtos químicos não especificados anteriormente
Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):19/08236-0 - Biopolímeros para separação de espécies orgânicas e inorgânicas, BP.TT
19/05138-7 - Biopolímeros para separação de espécies orgânicas e inorgânicas, BP.BIOEN.PIPE
Assunto(s):Biopolímeros  Extração em fase sólida  Íons metálicos  Poluentes orgânicos 

Resumo

A presença cada vez mais frequente de poluentes orgânicos (e.g., resíduos de agroquímicos, compostos aromáticos, bifenilas cloradas) e inorgânicos (e.g., Cd, Pb, Hg, As) no ambiente tem estimulado a necessidade de monitoramento dos níveis dessas espécies com o objetivo de promover segurança ambiental e alimentar. Métodos de extração em fase sólida (SPE) constituem a estratégia mais utilizada no preparo das amostras visando à análise desses poluentes por técnicas instrumentais modernas. O objetivo deste projeto é avaliar a viabilidade de biopolímeros (e.g., celulose, hidroxipropil metilcelulose, alginato) para a separação de espécies químicas orgânicas e inorgânicas de meios aquosos. Esses materiais adsorventes serão confeccionados nas formas de partículas, denominadas beads, espumas, discos e membranas, visando seu uso em processos de separação dinâmicos em colunas. Também será avaliado o uso bagaço de cana-de-açúcar como material bioadsorvente. O conhecimento gerado nesse projeto deverá contribuir com o desenvolvimento de novos produtos que deverão atender o mercado (nacional e internacional) de insumos para preparo de amostras (e.g., cartuchos e discos para SPE) para análises químicas. Esse conhecimento também contribuirá para o desenvolvimento de dispositivos de separação (e.g., filtros, membranas) para purificação de águas, tanto em escala doméstica quanto industrial. Cabe destacar a proposta é ambientalmente amigável, uma vez que propõe o uso substratos naturais e renováveis. (AU)

Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o auxílio:
Empresas apoiadas pelo PIPE-FAPESP são selecionadas para o Emerge Labs BRF 
Empresas apoiadas pelo PIPE-FAPESP são selecionadas para o Emerge Labs BRF