Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de vias celulares homeostáticas como mecanismos comuns inerentes às condições neurodegenerativas raras e prevalentes visando à unificação de estratégias terapêuticas

Processo: 17/08000-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2018 - 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: University of Birmingham
Pesquisador responsável:Tatiana Rosado Rosenstock
Beneficiário:Tatiana Rosado Rosenstock
Pesq. responsável no exterior: Sovan Sarkar
Instituição no exterior: University of Birmingham, Inglaterra
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Carl Ward ; Isaias Glezer ; Malgorzata Zatyka ; Timothy Barrett
Assunto(s):Células-tronco  Síndrome de Wolfram  Autofagia  Degeneração neural 

Resumo

A maioria das desordens neurodegenerativas raras e prevalentes não possuem tratamento ou cura. Uma das razões é a falta de modelos celulares e animais de confiança que replique, de forma consistente, o fenótipo das doenças. A busca de novos tratamentos têm se tornado mais esperançoso com o reconhecimento de que muitas desordens envolvem perturbações de alguns mecanismos de sinalização chave. As duas vias mais importantes que estão relacionadas com diversas doenças neurodegenerativas raras e prevalentes são defeitos na autofagia e na função mitocondrial. Assim, o nosso objetivo é desenvolver plataformas de células humanas afetadas por doenças usando modelos baseados em células tronco pluripotentes induzidas (hiPSC) para investigar disfunção da autofagia e da mitocôndria (vias compartilhadas entre doenças neurodegenerativas raras infantis e prevalente de início tardio); o que irá propiciar a identificação de novas intervenções terapêuticas e possibilitar o descobrimentos de novos fármacos com alvo nos mecanismos comuns dessas enfermidades. O projeto irá focar em duas condições neurodegenerativas, síndrome de Wolfram (desordem neurodegerativa infantil rara) e Esclerose Lateral Amiotrófica (doença neurodegenerativa mais prevalente de início tardio); tais desordens foram escolhidas devido à especialidade local nessas áreas. No futuro, essa proposta "prova de conceito" irá facilitar a extensão do paradigma da pesquisa e da tecnologia para outras doenças e processos para um impacto amplo da área biomédica. De relevância estratégica, o projeto criará elos institucionais entre Birmingham, São Paulo e Nottingham, assim como dará suporte para o estabelecimento de uma facility de células tronco para doenças raras (em Birmingham) e para a criação de infraestrutura para o cultivo de células tronco humanas (em São Paulo) para terapias futuras baseadas em células ou fármacos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Grupo investiga mecanismos de doenças neurodegenerativas