Busca avançada
Ano de início
Entree

Compreendendo o papel das interações patógeno-hospedeiro e o impacto do sistema de gestão para o desenvolvimento de resistência antimicrobiana em sistemas de pecuária brasileira

Processo: 17/50451-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2018 - 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Convênio/Acordo: BBSRC, UKRI ; Newton Fund, com FAPESP como instituição parceira no Brasil
Pesquisador responsável:Helder Louvandini
Beneficiário:Helder Louvandini
Pesq. responsável no exterior: Caroline Rymer
Instituição no exterior: University of Reading, Inglaterra
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Metabólitos  Interações hospedeiro-patógeno  Resistência microbiana a medicamentos  Metabólitos secundários  Microbiota  Ressonância magnética nuclear 
Publicação FAPESP:https://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/fapesp_uk_qUw14KL_40_40.pdf

Resumo

A hipótese deste projeto é verificar se existem diferenças associadas com o sistema de produção e zona agroecológica em termos de prevalência de AMR. Intervenções de manejo e dietéticas (como taninos) podem alterar o microbioma do animal hospedeiro e o nível de AMR. Para testar isso, é proposto coleta de amostra de fezes de bovinos de corte de diferentes idades de dois diferentes sistemas e zonas agroecológicas. As amostras fecais serão analisadas para metagenômica funcional de AMR (no CENA), composição do microbioma por 168 RNA (na UoR) e cultivo fecal para determinar a AMR fenotipicamente (no CENA). Amostras de forragem seriam tomadas para análise da composição química e compostos bioativos/metabolitos secundária de planta por NMR (na UoR). A partir desses dados, determinaremos quais zonas agroecológica sistemas podem estar associados com alta ou baixa prevalência de AMR. Na segunda fase, de forma mais controlada, pretendemos alterar o microbioma dos animais com elevado AMR visando aqueles dos animais com baixo AMR. Neste ponto, também investigaremos a AMR associados ao microbioma do solo em diferentes regiões. (AU)